Política







APÓS SAÍDA DE BOLSONARO PSL CRESCE EM NÚMERO DE FILIADOS

A desfiliação do Presidente Jair Bolsonaro do PSL, parece não ter freado o crescimento da legenda entre os eleitores. Segundo a Coluna de Guilherme Amado da revista Época, desde outubro, o partido registrou um aumento de 24,8% no número de filiados. Eram 349 mil.

Dados atualizados pelo TSE em abril mostram que o partido tem atualmente mais de 435 mil. Bolsonaro assinou sua ficha de desfiliação em novembro.

COMPARTILHE

PORTA-VOZ DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA É DIAGNOSTICADO COM CORONAVÍRUS

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros, foi diagnosticado com o novo coronavírus. O militar não apresenta sintomas, mas está afastado de suas funções no Palácio do Planalto. A informação é do jornal O Estado de S.Paulo.

Barros é o mais um caso de pessoas próximas ao presidente de Jair Bolsonaro que testam positivo para a Covid-19. Já foram diagnosticados o secretário especial de Comunicação, Fabio Wajngarten; os ministros Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, e Bento Albuquerque, de Minas e Energia; e outras 20 pessoas que viajaram com Bolsonaro para os Estados Unidos em março.

Após a viagem, Bolsonaro disse ter feito dois testes para saber se foi contaminado e que ambos deram negativo para a doença. O presidente, no entanto, não apresentou os exames publicamente.

COMPARTILHE

BEBETO GALVÃO TEM ALTA HOSPITALAR APÓS SER INTERNADO COM CORONAVÍRUS

Recebeu alta hospitalar nesta terça-feira (05), o ex-deputado federal Bebeto Galvão (PSB). Bebeto foi internado após complicações causadas pela Covid-19. O coronavírus comprometeu o funcionamento dos pulmões e rins de Bebeto.

Bebeto Galvão relatou através das redes sociais que viveu dias difíceis com a doença. “O pior é o sofrimento psíquico de saber da inexistência de vacina ou medicamento”, escreveu. Bebeto estava internado no Hospital Aliança. (Redação: Ubaitaba Urgente)

COMPARTILHE

ACM NETO MANTÉM FECHAMENTO DO COMÉRCIO, SHOPPINGS, ESCOLAS E RESTAURANTES

O prefeito ACM Neto (DEM) estendeu nesta segunda-feira (4) o fechamento do comércio, shoppings centers, bares e restaurantes, além de outros serviços como medida para conter o avanço da Covid-19 em Salvador. Agora, a suspensão dessas atividades vale até o dia 18 de maio.

Academias de ginástica, cinema, teatros, clubes sociais também continuam impedidos de funcionar até o dia 18. A população continuará proibida de utilizar as praias da cidade na capital baiana. “As atividades do comércio de rua que estão suspensas, continuarão suspensas”, falou ACM Neto.

Continuam suspensas também, por determinação do prefeito, as atividades na rede de ensino de Salvador. “Infelizmente não há perspectiva de retorno das atividades acadêmicas em nossa cidade. […] Prefeitura e rede de ensino farão todo o esforço para que não haja qualquer risco para o ano letivo de 2020”, disse o prefeito.

Segundo ACM Neto, há uma equipe na prefeitura empenhada em estabelecer um protocolo para o retorno das atividades em Salvador. Não há, porém, data ou prazo para tal.

COMPARTILHE

BARROSO VÊ ‘RISCO REAL’ DE ADIAMENTO DAS ELEIÇÕES

O ministro Luís Roberto Barroso, futuro presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou na última sexta-feira, 1, que há um “risco real” de que as eleições municipais de outubro, para escolha de novos prefeitos e vereadores, sejam adiadas em razão da pandemia do novo coronavírus.

O primeiro turno das eleições municipais está marcado para 4 de outubro. Nas cidades em que houver segundo turno – somente podem ter segundo turno municípios com mais de 200 mil eleitores –, a data prevista é 25 de outubro. A mudança da data das eleições depende do Congresso.

“Por minha vontade, nada seria modificado porque as eleições são um rito vital para a democracia. Portanto, o ideal seria nós podermos realizar as eleições. Porém, há um risco real, e, a esta altura, indisfarçável, de que se possa vir a ter que adiá-las”, afirmou o ministro em transmissão ao vivo em uma rede social promovida pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

Segundo informações do G1, o ministro, que sucederá a ministra Rosa Weber no final de maio na presidência do TSE, se não houver condições para realizar as eleições em outubro, o pleito, na avaliação dele, teria de ser feito “em poucas semanas, ou no máximo em dezembro, para não haver risco de se ter que prorrogar mandatos”.

COMPARTILHE

APROVAÇÃO DE RUI COSTA NO COMBATE AO CORONAVÍRUS REGISTRA QUEDA NO INTERIOR DA BAHIA

A atuação do governador Rui Costa (PT) em meio às ações de combate à pandemia do novo coronavírus é bem avaliada entre os baianos. Ainda assim, o índice registrou queda de acordo com a pesquisa DataPoder360, divulgada na manhã deste sábado (2).

Elaborada em parceria com o jornal A Tarde, a pesquisa indica que 56% dos baianos avaliam a gestão de Rui como ótima ou boa neste quesito enquanto 28% dizem que o desempenho dele é regular e 9% acham ruim ou péssimo. Essa pesquisa foi feita entre segunda (27) e quarta-feira (29) com 2,5 mil pessoas. A anterior, que mostrava o governador petista avaliado por 61% dos baianos como ótimo ou bom, foi feita entre os dias 13 e 15 de abril.

Mais detalhado, o novo levantamento mostra uma disparidade entre a aprovação de Rui na capital e no interior. Enquanto em Salvador, a aprovação oscilou negativamente dentro da margem de erro, de 72% para 70%, no interior, a queda foi de cinco pontos percentuais, chegando a 52%.

Patrocinado pela Associação Comercial da Bahia, o levantamento foi feito por meio de entrevistas telefônicas, com 2.500 pessoas, espalhadas em 221 municípios do estado. A margem de erro é de dois pontos percentuais. (Informações: Bahia Noticias)

COMPARTILHE

BRASILEIROS ACREDITAM MAIS EM MORO DO QUE EM BOLSONARO, DIZ DATAFOLHA

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Uma pesquisa feita pelo Datafolha revelou que, na briga entre Sergio Moro e Jair Bolsonaro, a maior parte da população brasileira prefere acreditar no ex-ministro da Justiça do que no presidente da República. O ex-juiz da Operação Lava Jato saiu do governo na sexta (24), após Bolsonaro exonerar contra a sua vontade o diretor da Polícia Federal, Maurício Valeixo.

Segundo Moro, Bolsonaro pretende interferir na atuação da PF para blindar seus filhos e pessoas próximas a sua família. O presidente negou as afirmações, disse que Valeixo reclamava de cansaço e acusou o ex-ministro de estar mais interessado em vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). Na segunda-feira (27), o Datafolha ouviu 1.503 pessoas por telefone, constatando que 52% desse total acredita na versão de Moro e 20%, na de Bolsonaro.

Não acreditam em nenhum dos dois 6%, 3% acham que ambos estão certos e 19% não souberam opinar. A pesquisa revelou ainda que  56%  dos entrevistados acha, que o presidente quer intervir politicamente no trabalho da PF, conforme denunciou Sergio Moro.

28% acham que o presidente não tem tal intenção e o ex-ministro errou ao pedir demissão, enquanto 4% não concordam com as duas colocações e 12%, não sabem dizer. Creem mais na acusação de Moro aqueles que ganham de 5 a 10 salários mínimos (69%) e quem possui curso superior (68%). Com informações da Folha de S.Paulo.

COMPARTILHE

FAMILIARES PRESSIONAM REGINA DUARTE PARA SAIR DO GOVERNO, DIZ COLUNA

Foto: Marcos Corrêa/PR

Foto: Marcos Corrêa/PR

Com apenas três meses no governo Jair Bolsonaro, a secretária Regina Duarte lida com a pressão de seus familiares para que deixe o posto. Isso foi intensificado depois da demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública no fim da semana passada.

A leitura feita por críticos é a de que o movimento “lavajatista” que apoiou o governo até aqui vai abandonar a base política junto com Moro. Além disso, de acordo com a revista Veja, a secretária de Cultura percebeu que caiu em uma armadilha ao encerrar seu contrato com a TV Globo para aceitar o convite de Bolsonaro.

Segundo a publicação, a atriz está isolada na pasta, sem força política para garantir o apoio de ministros, a fim de destravar sua agenda cultural, e também sem apoio do Palácio do Planalto para montar uma equipe com nomes do seu gosto.

COMPARTILHE

SECRETÁRIOS ESTADUAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA DIZEM QUE EX-MINISTRO MORO ERA DISTANTE E INACESSÍVEL

Foto: Reprodução/Rede Globo

Foto: Reprodução/Rede Globo

A saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública não foi lamentada por um grupo de secretários estaduais de segurança. Na última quinta-feira (23), secretários se reuniram com Moro.

Questionado pela coluna Painel da Folha de S.Paulo, alguns deles disseram que Moro não era popular entre eles, e que sua personalidade, descrita como tímida, o tornava distante e inacessível. O colégio que representa os secretários decidiu não se manifestar sobre Moro. Segundo a Painel, eles vinham pedindo mais ajuda com equipamentos de proteção individual e material de higiene para os agentes de segurança.

Na reunião de quinta (23), Moro deixou escapar comentário sobre isolamento social, tema sobre o qual vinha divergindo de Bolsonaro, que defende o afrouxamento. Os secretários dizem ter notado desconforto em Moro, que desconversou e afirmou que ali não era o lugar adequado para a discussão. (Informações: jornal Folha de São Paulo)

COMPARTILHE

FOTO MOSTRA CARLOS BOLSONARO E INDICADO À PF FESTEJANDO REVEILLON

Veja o registro no Instagram de Carlos Bolsonaro

Veja o registro no Instagram de Carlos Bolsonaro

Uma foto do vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos) ao lado do nome mais cotado para assumir o comando da corporação, o delegado Alexandre Ramagem, viralizou na internet neste sábado (25.abr.2020). Na imagem, Carlos e Alexandre Ramagem aparecem em uma festa de Ano Novo (de 2018 para 2019).

O vereador publicou o registro no Instagram na época. O ex-ministro Sergio Moro deixou o cargo na última 6ª feira (24.abr.2020). Afirmou que Bolsonaro tem o objetivo de ter informações sobre investigações da corporação. Além de influenciar politicamente a chefia.

O nome de Ramagem ainda não foi oficializado como novo diretor-geral da PF, mas ele segue sendo o diretor da Abin (Agência Brasileira de Inteligência). Bolsonaro indicou em seu pronunciamento que deve mesmo oficializar o nome. (Informações: MSN)

COMPARTILHE

PF IDENTIFICA CARLOS BOLSONARO COMO ARTICULADOR EM ESQUEMA CRIMINOSO DE FAKE NEWS

Foto: Reprodução/Instagram

Foto: Reprodução/Instagram

A Polícia Federal identificou o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, como um dos articuladores de um esquema criminoso de distribuição de fake news, segundo investigação sigilosa conduzida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o jornal Folha de S Paulo, nos últimos meses, Bolsonaro cobrou informações da investigação ao então diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, que teria resistido ao assédio do presidente. Bolsonaro teria pressionado Valeixo porque tinha conhecimento de que a corporação havia chegado ao seu filho, Carlos Bolsonaro.

O inquérito foi aberto em março de 2019 pelo presidente do STF, Dias Toffoli, para apuração de notícias falsas usadas para ameaça e calúnia a ministros do tribunal. Carlos Bolsonaro é investigado sob a suspeita de ser um dos líderes de um grupo que monta notícias falsas e age para intimidar e ameaçar autoridades públicas na internet. Eduardo Bolsonaro, irmão de Carlos, também é investigado.

O mesmo grupo de delegados do inquérito das fake news comanda a investigação para apurar protestos pró-golpe militar, aberta na última terça-feira (22). A suspeita do Supremo é de que empresários que financiaram o esquema de notícias falsas também tenham patrocinado as manifestações. (Informações: Jornal Folha de São Paulo)

COMPARTILHE

RUI QUESTIONA BOLSONARO E DIZ ‘POR QUE INTERFERIR NAS INVESTIGAÇÕES DA PF?’

O governador Rui Costa (PT) utilizou as redes sociais para fazer questionamentos ao presidente Jair Bolsonaro e sua condução à frente do governo federal em meio a pandemia da Covid-19 e a crise com o ministro Sérgio Moro. “Por que interferir nas investigações da PF?”, disse o governador.

“O “motivo para a troca” do superintendente eram investigações de aliados? Por que o medo? Fake News? Por que não focar na guerra para salvar vidas? Será que somos o único país do mundo que enfrentamos 2 guerras? A política e a pandemia?”, continuou questionando Rui em postagem no Twitter. (Informações: Bahia Notícias)

COMPARTILHE

MORO SE DEMITE E DIZ QUE BOLSONARO INTERFERIU NA PF POR PREOCUPAÇÃO COM INQUÉRITO NO STF

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, anunciou a demissão nesta sexta-feira (24). O ex-juiz federal deixa a pasta após um ano e quatro meses no primeiro escalão do governo do presidente Jair Bolsonaro. A demissão foi motivada pela decisão de Bolsonaro de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, indicado para o posto pelo agora ex-ministro.

A Polícia Federal é vinculada à pasta da Justiça. Ao anunciar a demissão, em pronunciamento na manhã desta sexta-feira no Ministério da Justiça, Moro afirmou que disse para Bolsonaro que não se opunha à troca de comando na PF, desde que o presidente lhe apresentasse uma razão para isso.

COMPARTILHE

MORO DEVE FAZER PRONUNCIAMENTO ÀS 11H EM MEIO A POSSÍVEL PEDIDO DE DEMISSÃO

O Ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, dará entrevista na manhã desta sexta-feira (24) após o presidente Jair Bolsonaro assinar a demissão de Maurício Leite Valeixo do comando da Polícia Federal (veja aqui). Valeixo era considerado o braço direito de Moro no governo federal e a independência em relação ao Palácio do Planalto incomodava Bolsonaro.

Com a demissão de Valeixo, Moro chegou a ensaiar uma demissão ainda nesta quarta (23). Diante do imbróglio, a manhã na presidência está movimentada com auxiliares e aliados chegando a todo momento para reuniões com o presidente Bolsonaro. A primeira das visitas teria sido o filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro.

O parlamentar é alvo de investigações da PF por suspeita de participar de um esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Ainda de acordo com informações de bastidores do site Antagonista, Jair Bolsonaro quer nomear Alexandre Ramagem para a PF. O nome seria ligado aos filhos do presidente e seu nome foi associado à Agência de Inteligência (Abin) paralela que, segundo Gustavo Bebianno, Carlos Bolsonaro pretendia implantar.

COMPARTILHE

BOLSONARO EXONERA DIRETOR-GERAL DA POLÍCIA FEDERAL; MORO PODE DEIXAR O GOVERNO

Foto : US. Embassy Brasília

Foto : US. Embassy Brasília

O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, foi exonerado pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) em publicação no Diário Oficial da União de hoje (24). A demissão ocorre em meio à negociação do governo com o ministro da Justiça, Sergio Moro, que pediu demissão da pasta após a interferência do presidente.

Colegas de Moro nos ministérios ainda tentam reverter a demissão. Na madrugada, os principais articuladores da possível permanência dele no Ministério da Justiça foram o ministro da Casa Civil, general Braga Netto, e o também militar Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o ministro da Justiça negocia um possível sucessor de sua confiança para o cargo.

COMPARTILHE

MORO AMEAÇA DEIXAR O GOVERNO SE BOLSONARO TROCAR COMANDO DA PF

O ministro Sergio Moro, da Justiça, falou ao presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (23/4), que sai do governo se ocorrer a troca de comando da Polícia Federal. Bolsonaro tenta, agora, impedir a saída de Moro. Bolsonaro anunciou ao ministro que o atual diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, deve ser demitido para dar lugar a um nome que tenha maior proximidade com o Planalto.

Moro, porém, vê na troca um ato extremo de desautorização, que ocorreria para proteger aliados atualmente na mira da corporação, e disse que, saindo Valeixo, ele também sai. A intenção de fazer a troca ocorre em meio ao andamento de um inquérito, aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido do Procurador-geral da República, Augusto Aras, que mira deputados bolsonaristas.

Eles são suspeitos de atuar para financiar e incentivar manifestações contra o Supremo e o Congresso.  As manifestações foram convocadas em várias cidades para pedir um “novo AI-5”. O próprio presidente participou de um ato em frente ao Quartel General do Exército, em Brasília.

As tentativas de trocar o diretor-geral da PF encontram resistência não só de Moro, mas também de delegados e agentes. É consenso que, se concretizadas, enfraquecerão o ministro da Justiça. Dentro da corporação, a notícia da troca foi recebida como uma bomba por agentes e delegados. Nem a Presidência nem o Ministério da Justiça se manifestaram oficialmente sobre o caso, até o momento. (Informações: MSN)

COMPARTILHE

MINISTRO CRITICA IMAGENS DE ‘CAIXÃO E CORPO’ E PEDE À IMPRENSA QUE MOSTRE ‘COISA POSITIVA’

Ministro Luiz Eduardo Ramos I I Foto: Reuters/Ueslei Marcelino

Ministro Luiz Eduardo Ramos I I Foto: Reuters/Ueslei Marcelino

O ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) criticou nesta quarta-feira (22) a divulgação pela imprensa de imagens de “caixão e corpo” durante a cobertura da pandemia do novo coronavírus. Ramos pediu aos jornalistas que mostrem “coisa positiva” nos telejornais. A declaração foi dada durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, da qual participaram, além de Ramos, os ministros Nelson Teich (Saúde), Braga Netto (Casa Civil), Tarcísio Gomes (Infraestrutura) e Marcelo Álvaro Antônio (Turismo).

Ramos afirmou que o governo Jair Bolsonaro respeita a liberdade de imprensa, “fundamental” na democracia, mas disse que, desde o início da crise do coronavírus tem observado uma “maciça divulgação” dos fatos negativos. “Com todo respeito, no jornal da manhã, é caixão, é corpo. Na hora do almoço, é caixão, novamente, e corpo. No jornal da noite, é caixão e corpo, é número de mortes. Eu pergunto a todos: como vocês acham que uma senhora de idade, uma pessoa humilde ou pessoa que sofre de alguma outra enfermidade, ela se sente com esta maciça divulgação de informações negativas? Isso não ajuda.

Ninguém aqui está dizendo que tem que esconder”, afirmou o ministro. Em seguida, o ministro disse que “tem tanta coisa positiva” acontecendo e pediu a divulgação do número de pessoas curadas da Covid-19 e o trabalho “maravilhoso” de profissionais de saúde, fatos que já vêm sendo noticiados por veículos de comunicação. De acordo com o boletim mais recente, o Brasil tem 45.757 casos confirmados e 2906 mortes por covid-19, doença provocada pelo coronavírus.

Antes de falar com jornalistas no Planalto, Ramos participou, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, de reunião com lideranças emedebistas: o deputado Baleia Rossi (SP), presidente nacional do MDB, e o senador Eduardo Braga (AM), líder da sigla no Senado e ex-ministro, ex-governador do Amazonas e ex-prefeito de Manaus. Na audiência, conforme relatado por Baleia Rossi, Bolsonaro pediu apoio do MDB – um dos partidos mais antigos do país – no enfrentamento ao novo coronavírus e na agenda pós-pandemia da Covid-19. (Informações: G1)

COMPARTILHE

LULA DIZ A JORNAL INGLÊS QUE BOLSONARO ESTÁ ‘LEVANDO BRASILEIROS AO MATADOURO’

O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, não poupou críticas ao atual presidente Jair Bolsonaro em entrevista ao jornal inglês The Guardian. Segundo Lula, a “imprudência” de Bolsonaro em meio à pandemia do novo coronavírus está “levando os brasileiros ao matadouro”.Após divergências, o presidente decidiu demitir Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde na última quinta (16).

“Infelizmente, eu temo que o Brasil sofra muito por causa da imprudência de Bolsonaro. Receio que, se isso crescer, o Brasil poderá ver alguns casos como aquelas imagens horríveis e monstruosas que vimos em Guayaquil”, disse.

Lula rechaçou a possibilidade de querer tirar Bolsonaro somente por não gostar da sua ideologia. No entanto, ressaltou que esse será um caminho inviável se o capitão continuar a “cometer crimes de responsabilidade”.

“Não podemos apenas querer derrubar um presidente porque não gostamos dele. [Mas] se Bolsonaro continuar cometendo crimes de responsabilidade … [e] tentando levar a sociedade ao matadouro – que é o que ele está fazendo – acho que as instituições precisarão encontrar uma maneira de classificar Bolsonaro. E isso significa que você precisará ter um impeachment”, indicou.

Um presidente deve ser como o maestro de uma orquestra”, disse. “O problema é que nosso maestro não sabe nada sobre música, não consegue ler uma partitura e nem sabe como os cassetetes funcionam”, emendou. Lula também disse que Bolsonaro “não sabe o que está fazendo”, fazendo uma analogia com a música.

“Ele está tentando tocar música clássica com os instrumentos que você usa para tocar samba. Ele transformou sua orquestra em loucura – uma Torre de Babel”, disse Lula. “Ele não sabe o que está fazendo no palácio presidencial … nem mesmo Trump o leva a sério”, completou. O Brasil tem mais de 30 mil casos do novo coronavírus e 1.924 mortes. (Informações: BN)

COMPARTILHE

SANDRO RÉGIS CLASSIFICA SAÍDA DE MANDETTA COMO “PREOCUPANTE”

Na avaliação do deputado estadual Sandro Régis (DEM), líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), a demissão de Luiz Henrique Mandetta do cargo de ministro da Saúde é “preocupante”.

“Vejo com tristeza, com preocupação. Trocar um ministro no meio de uma crise…espero que o novo faça um trabalho tão bom quanto e consiga tirar o Brasil dessa crise”, disse, em entrevista ao site Bocão News.

Mandetta foi demitido do cargo após embate público com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O oncologista Nelson Teich irá substitui-lo. “Nunca é bom trocar um general no meio da guerra”, completou Régis.

COMPARTILHE

‘ELEIÇÕES SÓ IRÃO ACONTECER QUANDO HOUVER SEGURANÇA SANITÁRIA’, DIZ LUIZ BARROSO

O novo presidente do TSE é contrário ao cancelamento da eleições.

O novo presidente do TSE é contrário ao cancelamento da eleições.

Eleito presidente do Tribunal Superior Eleitoral para o período 2022-22, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso afirmou que as eleições municipais deste ano só devem ocorrer quando houver segurança sanitária. “Se não houver condições de segurança para realizar as eleições, como conversamos [ministros do TSE] em reunião informal e administrativa, nós evidentemente teremos que considerar o adiamento pelo prazo mínimo indispensável para que possam realizar-se com segurança.”, disse.

Pelo calendário eleitoral, o pleito acontece no primeiro domingo de outubro (primeiro turno) e no último domingo do mesmo mês, caso haja necessidade de segundo turno. Para haver mudança, é preciso uma mudança na legislação aprovada pelo Congresso Nacional. Barroso informou que a Justiça Eleitoral mantém contato com a cúpula do Legislativo para fornecer um parecer técnico a ser considerado em conjunto com “as circunstâncias políticas” relacionadas ao adiamento.

O novo presidente do TSE é contrário ao cancelamento da eleições, que neste caso ocorreria conjuntamente com as sucessões federal e estadual.“Conforme pude conversar com cada um os nossos colegas, não apoiamos o cancelamento de eleições [de 2020] para que venha a coincidir com 2022. Nós consideramos que as eleições são um rito vital para a democracia, portanto, assim que as condições de saúde permitirem, nós devemos realizar as eleições”. (Informações: Agência Brasil)

COMPARTILHE

BOLSONARO DEMITE MANDETTA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

As divergências entre os dois começaram no início da crise do coronavírus.

As divergências entre os dois começaram no início da crise do coronavírus.

Após reunião não prevista oficialmente com o presidente Jair Bolsonaro, na tarde desta quinta-feira (16), o agora ex-ministro Luiz Henrique Mandetta confirmou sua demissão do Ministério da Saúde. Ele será substituído pelo oncologista Nelson Teich. Ele já chegou a Brasília para uma reunião com Bolsonaro.

“Acabo de ouvir do presidente Jair Bolsonaro o aviso da minha demissão do Ministério da Saúde. Quero agradecer a oportunidade que me foi dada, de ser gerente do nosso SUS, de pôr de pé o projeto de melhoria da saúde dos brasileiros e de planejar o enfrentamento da pandemia do coronavírus, o grande desafio que o nosso sistema de saúde está por enfrentar”, escreveu Mandetta no Twitter.

As divergências entre o ex-ministro e Bolsonaro começaram no início da crise do coronavírus. Os dois não chegaram a um acordo de como seria a melhor estratégia para o combate à doença, sobretudo no que diz respeito ao isolamento social, defendido por Mandetta e combatido pelo presidente. Mais cedo, o ex-ministro declarou que a troca no ministério aconteceria nesta quinta ou no mais tardar na sexta-feira (17).

COMPARTILHE

CÂMARA DÁ 30 DIAS PARA BOLSONARO MOSTRAR SEUS TESTES PARA CORONAVÍRUS

A Câmara dos Deputados deu 30 dias para que a Presidência da República apresente os resultados dos exames feitos por Jair Bolsonaro, para comprovar se o presidente contraiu ou não coronavírus. A Mesa Diretora da Câmara aceitou o requerimento feito pelo deputado federal Rogério Correia (PT-MG) e enviou a solicitação para a Secretaria-Geral da Presidência.

Se a Presidência não responder o pedido, vai desobedecer o artigo 50 da Constituição, que prevê crime de responsabilidade para autoridades do executivo que não prestarem informações solicitadas pela Câmara ou Senado.

Em março, o presidente fez dois exames depois de retornar de uma viagem dos Estados Unidos em que mais de 20 integrantes da comitiva presidencial voltaram contaminados com a covid-19. Ele disse que o teste deu negativo, mas se recusou a apresentar o documento. (Informações: A Tarde)

COMPARTILHE

RUI VOLTA A CRITICAR CONDUÇÃO DE BOLSONARO COM MANDETTA: ‘MINISTRO FICA, MINISTRO SAI’

 

O governador Rui Costa (PT) voltou a criticar a condução do presidente Bolsonaro (sem partido) na provável demissão do ministro da saúde Henrique Mandetta, nesta quarta-feira (15).

“Ministro fica. Ministro sai”, disparou Rui. “Quase 1.800 mortes nesta guerra contra o #coronavírus no Brasil e ainda encontram tempo pra isso. País precisa vencer esta guerra! Acorda aí, gente”, comentou o governador. (Informações: BN)

COMPARTILHE

OSMAR TERRA DIZ QUE CORONAVÍRUS VAI MATAR MENOS NO BRASIL DO QUE GRIPE NO RS

O ex-ministro e deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) afirmou que o Brasil terá menos mortes pelo coronavírus do que o Rio Grande do Sul terá por gripe durante o inverno. “Vai morrer mais gente de gripe sazonal, no inverno, no Rio Grande do Sul. Morrem, em média, 950 pessoas de gripe sazonal, principalmente os idosos. Vai morrer menos gente de coronavírus em todo o Brasil do que gente no inverno gaúcho de gripe sazonal”, declarou à Rádio Gazeta FM, do Rio Grande do Sul.

Terra acrescentou que errar o que chamou de “vaticínio” seria desmoralizante para ele. O último boletim das secretarias estaduais de saúde do Brasil apontam 14.072 casos e 691 mortes em virtude da Covid-19. Na última terça (7), o país registrou mais de 100 mortes.

COMPARTILHE

BOLSONARO E MANDETTA TÊM REUNIÃO ‘PACÍFICA’ NO PLANALTO

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta quarta-feira (08) com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no Palácio do Planalto. Os dois conversaram sobre as ações adotadas pelo Ministério da Saúde no combate ao avanço do novo coronavírus no Brasil.

A conversa durou cerca de uma hora e foi “pacífica”, segundo o site O Antagonista. Mandetta, que costuma ir a pé para o Palácio do Planalto, foi de carro nesta manhã a fim de evitar o encontro com jornalistas. (Informações: Bahia Notícias)

COMPARTILHE