Política







Marcelo Nilo é alvo de operação da Polícia Federal, afirma TV Bahia

Marcelo Nilo (PSL) I Foto: Reprodução

Agentes da Polícia Federal estão no apartamento onde reside o deputado estadual Marcelo Nilo (PSL), no Horto Florestal. De acordo com informações da TV Bahia, mandados estão sendo cumpridos em três endereços: Avenida Cardeal da Silva, onde reside a irmã do parlamentar; no Centro Administrativo da Bahia; e no Horto Florestal

COMPARTILHE

Suspensa análise de denúncia contra 2 baianos do PP pelo STF

Roberto Britto e Mário Negromonte Jr I Foto: Reprodução

O pedido de vista do ministro Gilmar Mendes à denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra políticos do Partido Progressista (PP) foi acatado no final da tarde desta terça-feira, 12, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu análise do inquérito. A vista de Mendes, que adiou a análise por tempo indeterminado,foi aceita por 2 votos a 1. Os ministros Edson Fachin e Ricardo Lewandowski aceitaram e o ministro Dias Toffoli rejeitou. A peça acusa sete integrantes do PP dentro da Operação Lava Jato de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, entre eles três representantes da Bahia: Mario Negromonte, Mario Negromonte Júnior e Roberto Brito. A denúncia, no entanto, foi rejeitada por Fachin apenas contra dois dos baianos – Negromonte Jr. e Britto, além de Arthur Lira, de Alagoas. Segundo o ministro, faltaram provas contra os três políticos. Em nota diviulgada na noite desta terça, Roberto Britto comemorou a decisão. “Foram longos dias de longa espera, mas sempre confiei na Justiça de meu país e na justiça divina. A decisão tomada hoje pelo Supremo Tribunal Federal, me absolvendo de qualquer envolvimento com a operação Lava Jato, repõe a verdade dos fatos e endossa aquilo que sempre afirmei desde que meu nome foi envolvido: Não cometi crime algum e mais cedo ou mais tarde, minha inocência seria provada, o que ocorreu nesta terça feira. Agora estou aliviado. A Justiça foi feita!”. Com informações do Jornal A Tarde

COMPARTILHE

Presidente Estadual do PMDB nega expulsão de Geddel: Vamos esperar a Justiça

Pedro Tavares (PMDB) I Foto: Reprodução

Presidente do PMDB baiano há dois meses, desde o afastamento de Geddel Vieira Lima, o deputado estadual Pedro Tavares negou ao BNews que o correligionário será expulso da legenda. Segundo ele, a posição será tomada após a Justiça se pronunciar. Geddel foi preso no dia 8 de setembro pela segunda vez. Ele acusado de receber propina de R$ 20 milhões quando ocupou o cargo de vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal (CEF). A situação do pemedebista se agravou ainda mais quando a Polícia Federal encontrou R$ 51 milhões em apartamento ligado ao ex-ministro. “O PMDB é maior do que as pessoas. O caso [de Geddel] é uma questão de Justiça, que deve respeitar o amplo direito de defesa, e depois emitirá um parecer. Se dentro disso, ele for condenado, logicamente responderá pelos seus atos. A gente vai esperar”, disse Pedro Tavares, nesta terça-feira (12), na sede do PMDB, onde recebeu lideranças do partido, além do prefeito de Vitória da Conquista Herzem Gusmão.

COMPARTILHE

Executiva do PMDB discute expulsão de Geddel da sigla

Membros da executiva estadual do PMDB da Bahia vão se reunir nesta terça-feira (12) na Assembleia Legislativa (Alba) para decidirem o futuro político do ex-ministro Geddel Vieira Lima dentro da sigla. Os peemedebistas estarão reunidos para analisarem a expulsão do cacique – uma das figuras mais significativas da legenda. Os escândalos envolvendo Geddel vem incomodando membros do partido que temem não se elegerem em 2018. Além dos deputados estaduais foram convidados o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, o prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, e o federal Lúcio Vieira Lima. Apesar de afirmarem que vão debater apenas sobre os novos rumos da legenda, a reunião tem como princípio tentar convencer Geddel a deixar o partido, sem maiores transtornos. Contudo é prevista uma negativa e por isso há possibilidades da expulsão. Geddel já estava afastado da presidência da legenda desde a primeira prisão, em julho deste ano, e seu irmão chegou a afirmar que ele não mais se candidataria em 2018.  Nenhum peemedebista atendeu às ligações da reportagem, nem mesmo responderam às mensagens enviadas. No entanto, a reunião está marcada para após a sessão plenária, por volta das 16h, e foi confirmada pelo deputado estadual Hildécio Meirelles (PMDB) em entrevista ao programa Se Liga Bocão, da rádio Itapoan FM, na noite desta segunda-feira (11).

COMPARTILHE

Em nota, defesa diz que direitos de Geddel “foram violados”

De acordo com o comunicado, “além de ter sido impedido o acesso e a entrevista pessoal dos advogados constituídos por Geddel, ainda foi impossibilitada a participação na sua oitiva perante a autoridade policial”. Além disso, sobre a notícia de que Geddel chorou em depoimento, a nota afirma que isso foi “mais um atentado à sua dignidade e integridade moral, mediante a indevida exposição de uma pessoa submetida à custódia e responsabilidade do Estado.” “Geddel irá refutar as consequências jurídicas que lhe são indevidamente imputadas, em momento oportuno, perante as autoridades competentes”, conclui a nota. Atualmente Geddel está no presídio da Papuda, dividindo cela com outros nove presos. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, a capacidade da cela é para 12 pessoas, com quatro treliches. Com informações do Varela Noticias

COMPARTILHE

Rodrigo Janot é flagrado com Advogado de Joesley Batista em bar

Rodrigo Janot e o advogado Pierpaolo Bottini, que defende Joesley Batista, tiveram um encontro fora da agenda num boteco de Brasília, no sábado (9). O site O Antagonista obteve com exclusividade o registro fotográfico feito por um frequentador do local. Ainda segundo a publicação, a testemunha diz que ambos conversaram por mais de 20 minutos. Para não chamar atenção, escolheram uma mesa de canto, ao lado de uma pilha de caixas de cerveja. Janot não tirou os óculos escuros. A assessoria de Janot não retornou o contato de O Antagonista. Bottini confirmou o encontro fora da agenda, mas disse que foi “casual”. Veja a explicação do advogado: “Na minha última ida a Brasília, este fim de semana, cruzei casualmente com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, num local público e frequentado da capital. Por uma questão de gentileza, nos cumprimentamos e trocamos algumas palavras, de forma cordial. Não tratamos de qualquer questão outra ou afeita a temas jurídicos. Foi uma demonstração de que as diferenças no campo judicial não devem extrapolar para a ausência de cordialidade no plano das relações pessoais.”

COMPARTILHE

Joesley e Saud decidem se entregar à Justiça

Foto: Reprodução

Em conjunto com seus advogados, Joesley Batista e Ricardo Saud tomaram a decisão de se entregar, segundo a Globonews. Dependem, no entanto, de uma notificação à Justiça, já que ambos estão em São Paulo e, para isso, teriam de viajar. O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin autorizou a prisão temporária (de cinco dias) dos delatores da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud. No sábado, eles já haviam colocado seus passaportes à disposição do STF. Neste domingo, o ministro Edson Fachin determinou a prisão dos dois. Por enquanto, somente alguns jornalistas em frente a casa do empresário Joesley Batista, que mora no Jardim Europa, na Zona Sul de São Paulo, de acordo com informações da Rádio BandNews.

COMPARTILHE

De volta à Papuda, Geddel encontra os mesmos companheiros de cela

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O ex-ministro Geddel Vieira Lima não encontrou caras novas em seu retorno ao presídio da Papuda, no Distrito Federal. Segundo informações da Folha de S. Paulo, ele está dividindo a cela com os mesmos nove detentos da primeira vez que esteve no local. O espaço tem capacidade para 12 pessoas e conta com quatro treliches, um chuveiro frio e um local para necessidades fisiológicas. Geddel chegou à Papuda no final da tarde desta sexta-feira (8), mesmo dia em que foi detido pela Polícia Federal em Salvador. Nesta semana, agentes do órgão encontraram mais de R$ 51 milhões em um apartamento da capital baiana. A PF encontrou nas notas impressões digitais do ex-ministro e do ex-diretor da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Gustavo Ferraz. O doleiro Lúcio Funaro, decisivo para a primeira prisão de Geddel, também está na Papuda. No entanto, eles estão em alas separadas e não podem se encontrar no banho de sol.

COMPARTILHE

Fachin determina prisão de Joesley e Saud

Foto: Reprodução

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin acatou o pedido de prisão temporária dos delatores da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud, apresentado nesta sexta-feira (8) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O chefe do Ministério Público havia pedido, ainda, a prisão do ex-procurador da República Marcello Miller. Neste caso, o ministro do STF não autorizou a prisão. As prisões dos delatores não devem ser imediatas, mas sim, podem ocorrer ao longo do dia, ou até mesmo nesta segunda-feira (11), segundo informações do site G1. A prisão de Joesley e Saud foi autorizada porque eles são suspeitos de omitir informações dos investigadores da Operação Lava Jato, o que quebra cláusulas do acordo de delação premiada.

COMPARTILHE

PT espera resultado de condenação de Lula em abril; petista é aposta do partido em 2018

O Partido dos Trabalhadores (PT) espera uma decisão a cerca da Inelegibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva até abril. O partido aposta na candidatura de Lula nas Eleições de 2018. O petista foi condenado pelo juiz Sérgio Moro em primeira instância por corrupção e lavagem de dinheiro no processo relativo ao tríplex do Guarujá. O caso será agora julgado em segunda instância pelo TRF (Tribunal Regional Federal) de Porto Alegre e, se confirmada a sentença, Lula se torna ficha suja e se a pena não for alterada, poderá ir para a cadeia. Os advogados do ex-presidente estimam um julgamento entre meados de março e começo de abril. Lula prestará um novo depoimento na próxima quarta-feira (13) ao juiz Sérgio Moro em Curitiba.

COMPARTILHE

Lula se diz ‘decepcionado’ com Palocci e reclama de termos usados por delator

Foto: Reprodução/Folhapress

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta quinta-feira (7), que está “muito decepcionado” com o ex-ministro Antonio Palocci. Negando o teor das declarações de Palocci, Lula se queixou, em conversas, de expressões usadas em seu depoimento, como “pacto de sangue” e “propina”. Segundo petistas, já havia a expectativa de que Palocci buscasse viabilizar um acordo de delação premiada. Mas Lula ficou abalado com os termos empregados pelo antigo colaborador. Amigos de Lula lembram que o ex-presidente costuma justificar o depoimento do empresário Léo Pinheiro, argumentando que ele é um homem de idade avançada e sofreu forte pressão. A justificativa, porém, não se aplica a Palocci, “que foi rápido demais” e teria se limitado a ataques contra Lula. Em uma tentativa de estimular os petistas com quem conversou, Lula afirmou que manterá sua agenda política, que inclui a edição de uma caravana no Pontal do Paranapanema. O ex-ministro Gilberto Carvalho afirma que Lula está bem. “E disse que, depois desta caravana, nada consegue abatê-lo”. A programação de viagens é, para petistas, uma tentativa de reanimar o ex-presidente. Antes de sair em caravana pelo Nordeste no mês passado, Lula disse a aliados que não suportava mais ter sua agenda consumida por reuniões com seus advogados de defesa. Após o depoimento de Palocci, a ideia é reforçar sua programação política. Vice-presidente do PT, o ex-ministro Alexandre Padilha diz que o depoimento não “mexe em nada em relação ao que estava programado”. Com informações do BNews

COMPARTILHE

Palocci diz que Lula recebeu R$ 4 milhões em “pacto de sangue” com Odebrecht

Em depoimento ao juiz federal Sergio Moro nesta quarta-feira (6), o ex-ministro Antônio Palocci afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva avalizou um “pacto de sangue” no qual a Odebrecht se comprometeu a pagar R$ 300 milhões em propinas ao PT entre o fim do governo Lula e os primeiros anos do Dilma. A informação foi confirmada pelos advogados do petista, que já foi condenado em outra ação da Lava Jato e está preso na Superintendência da Polícia Federal (PF), na capital paranaense. Um dos advogados de defesa de Palocci, Adriano Bretas declarou que Palocci “revelou importantes detalhes dos bastidores e dos meandros que permearam as relações de poder na transição do governo Lula para o governo Dilma e como foi essa compra de boa vontade da Odebrecht em relação ao governo.” Palocci foi ouvido na ação em que Lula é acusado de ter recebido, da Odebrecht, um terreno de R$ 12,4 milhões destinado a ser a nova sede do Instituto Lula e um apartamento de R$ 540 mil em São Bernardo do Campo (SP). Confira trechos do depoimento de Palocci:

COMPARTILHE

Delação de Funaro deve atingir 20 políticos, entre eles, Geddel

A delação do doleiro Lúcio Funaro deve implicar pelo menos 20 políticos ligados ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). De acordo com o jornal O Globo, entre os principais alvos, estão os ex-ministros da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, e do Turismo, Henrique Eduardo Alves. Os dois são dos mais próximos aliados do presidente Michel Temer. Em depoimentos, Funaro indicou contas bancárias na quais teriam sido depositadas propinas para os dois ex-ministros, supostamente por ordem de Cunha. Sobre Geddel, o doleiro detalhou de onde tirou e como fez o dinheiro chegar até ele, indicando até mesmo quantos voos utilizou para encontrar o ex-ministro na Bahia. Atualmente em prisão domiciliar, Geddel foi preso por suspeita de tentar impedir a delação de Funaro. Ainda segundo a publicação, o operador financeiro deve ser interrogado na próxima semana por um juiz auxiliar do ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). O doleiro deverá responder se sofreu, ou não, algum tipo de pressão para selar o acordo. Sem indícios de irregularidade, a delação deve ser homologada já na próxima semana. Funaro confirmou a versão de que recebeu dinheiro do empresário Joesley Batista, da JBS, para permanecer em silêncio. A delação deve ser incluída na segunda denúncia que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, está preparando contra Temer.

COMPARTILHE

Deputados federais baianos já gastaram R$ 800 mil dos cofres públicos com combustível

Jorge Solla (PT) I Foto: Reprodução

Os 38 deputados federais baianos em atividade gastaram com combustíveis aproximadamente R$ 800 mil dos cofres públicos de janeiro a julho deste ano.O montante representa quase 10% dos R$ 9 milhões já repassados a eles através da cota parlamentar, verba destinada pela Câmara para cobrir despesas com o exercício do mandato. No topo do ranking, está Jorge Solla (PT), que consumiu R$ 41,7 mil para abastecer veículos a serviço do seu gabinete. Em seguida, vêm Claudio Cajado (DEM) e Paulo Magalhães (PSD), com a soma de R$ 41,6 mil e R$ 40,5 mil, respectivamente. Cada um dos três primeiros colocados gastou, em média, R$ 5,9 mil por mês, R$ 100 a menos que o limite de R$ 6 mil estabelecido pelo Legislativo. O valor equivale a 1.475 litros mensais de gasolina, considerando o preço unitário de R$ 4.

COMPARTILHE

“Mais um passo, mais uma vitória”, diz Rui após assinar acordo na China

Fotos: Divulgação/GOVBA

“A assinatura de hoje representa a nossa determinação em colocar a Bahia num novo patamar de atração de investimentos. É mais desenvolvimento para o interior. É mais emprego e renda para milhares de baianos”, afirmou o governador Rui Costa após assinar na China memorando de entendimento com cinco empresas chinesas e a Bahia Mineração (Bamin) para financiamento do projeto do Porto Sul, da Fiol e da mina de Pedra de Ferro. O ato aconteceu no Palácio do Povo por volta das 8h desta sexta-feira (1º) na Bahia, 19h em Pequim. “Nosso foco na China é garantir mais qualidade de vida para nossa gente, transformar a vida das pessoas. Somos um povo forte e não baixamos a cabeça diante da dificuldade. Prova disso é que estamos do outro lado do mundo trabalhando intensamente para levar resultados concretos para a Bahia, mesmo diante de um cenário de crise econômica no Brasil”, acrescentou o governador ao concluir um dos principais compromissos nesta sua terceira missão internacional à frente do Governo do Estado. Em vídeo publicado no Facebook (veja aqui), Rui destacou o trabalho realizado ao longo dos últimos dois anos até a assinatura desta sexta. “Foram dois anos de muito trabalho para chegar à formação de um consórcio envolvendo várias empresas chinesas e a empresa do Cazaquistão. Teremos até o ano que vem o leilão da ferrovia [Fiol] e o início das obras, um passo importante para a Bahia crescer. Mais um passo, mais uma vitória”, afirmou o governador na rede social. O documento assinado nesta sexta estabelece que o Governo do Estado, as empresas chinesas e o Eurasian Resources Group, acionista da Bahia Mineração, “desejam cooperar para o desenvolvimento totalmente integrado do projeto do Porto Sul, da Fiol e da mina Pedra de Ferro”.  Ainda de acordo com o memorando, a participação em grupo de investimento para financiar o desenvolvimento dos projetos será liderada pelo consórcio chinês formado pelas seguintes empresas – China Railway Group Limited; China Communications Construction Company Ltd; Minmetals Development Co. Ltd; Shougang Fushan Resources Group Limited; e Dalian Huarui Heavy Industry Group Co. Ltd. Essas empresas orientais são de diversos ramos de atuação, como siderurgia, construção civil e mineração, e fecharam um cronograma de atividades com a Bahia Mineração envolvendo prazos para execução dos trabalhos.

COMPARTILHE

Davidson Magalhães combate privatizações do governo Temer

Davidson Magalhães (PCdoB) I Foto: Reprodução

O deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB) tem marcado forte posição contrária à série de privatizações anunciadas pelo governo de Michel Temer nos últimos dias. O deputado tem alertado para o perigo de privatizar empresas estratégicas para o Brasil nos setores de petróleo e energia, a exemplo de subsidiárias da Petrobrás e do sistema Eletrobrás. “A Eletrobrás representa quase 50% do processo de distribuição e geração de energia do Brasil. Nenhum país que se preze desnacionaliza o setor de energia elétrica, pois é um setor estratégico para o desenvolvimento. Isso é um bem social, não pode ser tratado como uma mercadoria”, defendeu Davidson, no plenário da Câmara dos Deputados. Davidson também criticou a manobra de vender as subsidiárias da Petrobrás responsáveis pelo refino e distribuição de petróleo. “A Petrobrás vai do poço ao posto, e é isso que lhe dá rentabilidade para ser uma das maiores empresas e petróleo do mundo. Ela está sendo completamente esquartejada para ser vendida”, declarou. O governo Temer chega ao cúmulo de propor a privatização da Casa da Moeda. “É o mais descarado atentado à soberania nacional. [Emitir dinheiro] é uma responsabilidade inerente ao Estado brasileiro”, define Davidson. “Esse governo ilegítimo faz um desmonte como nunca vimos na história do Brasil, comprometendo pilares fundamentais do Estado desenvolvimentista que levou o país a ter a nona economia do mundo”, conclui o deputado. Com informações de Tiago Freire

COMPARTILHE

Vereadores protocolam denúncia contra prefeito de Amargosa por improbidade

Julio Pinheiro (PT) I Foto: Reprodução

Os vereadores de Amargosa protocolaram denúncia no Ministério Público contra o prefeito Julio Pinheiro (PT), na manhã desta quinta-feira (31), apontando uma série de denúncias. Os edis Luis Antônio (PSB), Oldaque Maia (PPS), Val Cintra (DEM) Vera do Fórum (PSC) e Viviane Santana (PSDB) afirmam que o gestor cometeu atos de improbidade administrativa. De acordo com o Portal Amargosa, os vereadores afirmam que o prefeito realizou duas dispensas de licitação (281/2017, 282/2017) para locação de imóveis durante os dias 22 a 26 de junho para abrigar pessoal de apoio durante o São João da cidade, porém os imóveis locados pela prefeitura são de propriedade de servidores públicos, o que é proibido por lei. Segundo a publicação, os contratos administrativos firmados com servidores públicos municipais totalizam a quantia de R$ 11.720,00 (onze mil, setecentos e vinte reais) de recursos públicos que privilegiaram servidores públicos, inclusive nomeados em cargos comissionados. Os vereadores se basearam no artigo 37 da Constituição Federal e a denúncia apoia-se também no artigo 9° da Lei 8666/93 que determina que nenhum servidor ou dirigente de órgão ou entidade contratante ou responsável pela licitação pode participar, direta ou indiretamente, da licitação ou da execução de obra ou serviço e do fornecimento de bens a eles necessários. Com informações do BNews

COMPARTILHE

STF mantém nas mãos de Moro delações da Odebrecht sobre Lula

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) I Foto: Reprodução

Por unanimidade, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal negou provimento a recurso – agravo regimental – do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra decisão do ministro Edson Fachin que determinou a remessa ao juiz federal Sérgio Moro, no Paraná, de cópia dos autos da Petição (PET) 6734, na qual constam delações premiadas de executivos da Odebrecht. As informações foram divulgadas no site do Supremo. A decisão dos ministros da Segunda Turma foi tomada nesta terça-feira, 29. Os fatos apontados pelos delatores se referem a suposto pagamento de vantagens indevidas pelo grupo empresarial para que fosse beneficiado em licitação para o fornecimento de sondas de extração de petróleo na camada do pré-sal. O procedimento investigatório foi instaurado com base nas colaborações premiadas de Márcio Faria da Silva, Rogério Santos de Araújo e Marcelo Bahia Odebrecht, que afirmaram que os valores arrecadados seriam repartidos entre funcionários da Petrobras e políticos do PT. A defesa do ex-presidente alegou que as informações sobre supostos crimes nas delações não teriam correlação com os demais processos da Operação Lava Jato. A defesa afirmou que, como as supostas reuniões para acerto de valores teriam ocorrido em São Paulo, a competência para a apuração dos fatos seria da Justiça Federal do Estado. Os ministros da Segunda Turma seguiram o voto do relator, Edson Fachin, no sentido do desprovimento do agravo regimental. Ele observou que, pelo menos em análise preliminar, ficou demonstrada a ligação entre os fatos narrados na PET 6734 e os processos relacionados à Lava Jato que, na primeira instância, tramitam perante a 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, sob titularidade de Moro. Segundo o ministro, como não há nos autos qualquer autoridade com prerrogativa de foro junto ao Supremo, “a declinação da competência deve se dar em favor da autoridade judiciária perante a qual tramitam procedimentos que guardam aparente conexão com os fatos narrados, nos termos do artigo 79, caput, do Código de Processo Penal”. Com informações do Estadão Conteúdo

COMPARTILHE

Bebeto participa de Seminário e reafirma compromisso de continuar lutando pelos trabalhadores

O deputado federal Bebeto Galvão (PSB), participou do Seminário “Os Impactos das Reformas Trabalhistas e Previdenciárias na Vida dos Trabalhadores e Sindicatos”. O Seminário foi realizado pela Força Sindical, onde foram apresentadas as principais mudanças das leis trabalhistas e previdenciárias. Durante o evento, Bebeto reafirmou o compromisso de continuar lutando contra a diminuição dos direitos dos trabalhadores. “Vale ressaltar, que neste momento, é importante e necessário que a nossa base permaneça mobilizada e unida”, disse Bebeto. (Redação: Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente)

COMPARTILHE

Luiz Argôlo é liberado pela Justiça para enterro da avó na Bahia

A Justiça concedeu ao ex-deputado baiano Luiz Argôlo três dias de licença do presídio em Curitiba-PR para acompanhar o enterro do corpo de sua avó, na cidade de Entre Rios-BA, conforme o blog Luciano Reis Notícias. Segundo o blog, o ex-parlamentar chegou por volta das 14h desta segunda-feira (28), acompanhado de um agente penitenciário. O político é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, e foi preso no âmbito da Operação Lava Jato.  O corpo de Otília Pinheiro foi enterrado no Cemitério Municipal de Entre Rios. Em 2015 Luiz Argolo que até então estava filiado ao Solidariedade foi condenado a quase 12 anos de prisão. Com informações do BNews

COMPARTILHE

Dinheiro repatriado de Maluf rende juros e será usado pela prefeitura de São Paulo

Paulo Maluf (PP-SP) I Foto: Divulgação

Os R$ 76 milhões repatriados pela Prefeitura de São Paulo de contas movimentadas pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP-SP) em bancos estrangeiros já alcançou R$ 82 milhões. Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, o dinheiro está depositado em uma conta da administração que foi aberta especialmente para isso no Banco do Brasil. O rendimento em juros foi possível após gestão municipal conseguiu negociar com o Ministério Público Estadual (MPE) para usar o dinheiro. Inicialmente, os recursos seria destinado para resolver o imbróglio envolvendo o Parque Augusta, e agora será utilizado para criação de vagas em creches. Maluf, porém, continua afirmando que nunca teve conta no exterior.

COMPARTILHE

Em evento, João Doria é chamado de presidente por engano e público aplaude

João Doria (PSDB) I Foto: Reprodução/BBC

Durante a assinatura do decreto que autoriza a criação da coordenadoria de proteção e bem-estar de animais domésticos de São Paulo, o prefeito da cidade, João Doria (PSDB) foi chamado, por engano, de “presidente” pelo vereador Reginaldo Trípoli (PV). Engano que foi aplaudido pelo público presente. “É um ato falho, mas um ato falho para o bem “, disse Trípoli, defensor da coordenadoria animal. A assinatura aconteceu há pouco no evento SP Animal, realizado na manhã deste domingo (27), na praça Charles Miller na capital paulista. O esperado é que 7 mil pessoas participem do evento. O prefeito participa agora de uma caminhada coletiva, acompanhado de uma de suas cadelas, da raça samoieda, chamada Lola, além de secretários do seu governo. “Não há dinheiro público no evento”, afirmou Dória após a assinatura. Segundo ele, tudo foi patrocinando pela iniciativa privada. O SP Animal promove também a vacinação antirrábica para gatos e cachorros, entre outros serviços. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMPARTILHE

Se eleito presidente, Bolsonaro quer militarizar escolas públicas e nomear general para MEC

Jair Bolsonaro (PSC-RJ) I Foto: Reprodução/Exame

Segundo colocado nas pesquisas sobre intenções de voto para a eleição presidencial em 2018, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) ambiciona a militarização do ensino. O político afirma que, caso seja eleito, vai ampliar o modelo de escolas militares através de parcerias com as redes municipal e estadual porque nelas há “educação moral e cívica, cultua-se o respeito às autoridades, no intervalo não tem maconha, o pessoal corta o cabelo, cobra-se o dever de casa”, exemplificou o político conservador, em entrevista à Folha de S. Paulo. Para assumir o Ministério da Educação, Bolsonaro visualiza um general, alguém “que represente autoridade, amor à pátria e respeito à família”. A escolha seria para refutar programas desenvolvidos por políticos como o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), a quem chama de “pai do kit gay”, e o ex-ministro Aloizio Mercadante.

COMPARTILHE

Geddel Vieira Lima vira réu por obstrução de Justiça

A Justiça Federal em Brasília aceitou nesta terça-feira (22) a denúncia da Procuradoria da República no Distrito Federal e transformou em réu o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) por obstrução de justiça. Na semana passada, Geddel foi denunciado por tentativa de atrapalhar as investigações sobre desvios no FI-FGTS, o fundo de investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. A denúncia foi aceita pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília. Após o ex-ministro ser denunciado, o advogado dele, Gamil Foppel, divulgou nota na qual criticou a acusação do Ministério Público, classificando-a de “inepta”, “imprestável” e uma “coleção invulgar de erros jurídicos”

COMPARTILHE

Vice-prefeita de Formosa é presa por desacato e acusa PM de abuso de poder

A vice-prefeita do município de Formosa do Rio Preto, Veronica Lisboa (PMB) foi presa neste domingo (20) por desacatado a autoridade e acusa o Policial Militar de abuso de poder.  Verônica, que também é advogada, foi auxiliar um homem preso por porte ilegal de arma, que recebia atendimento médico no Hospital Municipal Altino Lemos Santiago, mas acabou sendo impedida. Lisboa argumentou que o indivíduo teria direito de receber assistência jurídica. Porém, a guarnição da Polícia Militar discordou e acabou a levando presa. Segundo informações, policiais militares agarraram a vice-prefeita pelo pescoço e a jogaram dentro do camburão. Ele acusa o PM de abuso de poder e agressão. O caso ganhou repercussão na Bahia e a Ordem dos Advogados (OAB) prestou solidariedade à vice-prefeita e informou que o fato foi comunicado ao secretário de Segurança Pública da Bahia. Com informações do BNews

COMPARTILHE