Política







ACM Neto é escolhido personalidade política do ano pela IstoÉ

ACM Neto I Foto: Reprodução

O prefeito ACM Neto está entre as personalidades que mais se destacaram no Brasil este ano, de acordo com a Editora Três, responsável pela publicação Revista IstoÉ. O prefeito foi escolhido como “Personalidade do Ano na Categoria Política” pela liderança, popularidade, influência nacional e pelos resultados à frente da Prefeitura de Salvador. A entrega do prêmio acontecerá em São Paulo, na Casa de Espetáculos Tom Brasil, no dia 4 de dezembro. Além de ACM Neto, também serão premiados os destaques nas áreas de Justiça, Esporte, Televisão, Gestão, Moda, Teatro, Comunicação, Música e Cultura. Com informações do Bocão News

COMPARTILHE

Morre aos 60 anos o ex-deputado estadual Paulo Anunciação

O ex-deputado estadual e ex-vereador Paulo Anunciação faleceu na manhã desta segunda-feira (30), aos 60 anos. Após alguns dias internado, ele teve uma parada cardíaca e não resistiu. Natural de São Félix, no Recôncavo baiano, Anunciação foi atuante no movimento sindical, mais especificamente do ramo da limpeza, e também era ativo militante do Movimento Negro Unificado, tendo sido secretário municipal de Combate ao Racismo e secretário estadual sobre Combate ao Racismo. “Paulo era um companheiro doce, com uma forte empatia. Nunca deixou de defender os seus ideais. Colaborou com as gestões petistas em Santo Amaro da Purificação. Lutador de primeira grandeza, militava na reestruturação do PT em sua terra querida”, afirma o petista Robinson Almeida, que lembrou um episódio dramático sofrido pelo ex-parlamentar como ativista. “Numa greve geral, ficou marcada no coração de todos humanistas, a dura repressão praticada contra Paulo pela polícia, que além de espancá-lo violentamente, cortou seus cabelos rastafári”. Com informações do BN

COMPARTILHE

Lúcio Vieira Lima emprega piloto de avião da família como assessor na Câmara

O piloto de um avião que pertence a família Vieira Lima foi empregado como assessor na Câmara pelo deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB). De acordo com informações da Folha, Francisco Cezar Martins Meireles é lotado como secretário parlamentar com salário de R$ 14,3 mil desde março de 2017, período em que fez pelo menos sete voos no comando da aeronave PT-LKB, modelo Cessna 40, aeronave que está em nome de Afrísio Vieira Lima (morto em 2016), pai de Lúcio e do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB). Os irmãos Lúcio e Geddel são alvo de inquéritos que investigam a ocultação de R$ 51 milhões encontrados em um apartamento em Salvador que, segundo a Procuradoria, seriam provenientes de propinas. Geddel está preso preventivamente em Brasília.

COMPARTILHE

Lula e Bolsonaro lideram corrida para presidente em 2018, aponta Ibope

Foto: reprodução

A primeira pesquisa do Ibope para avaliar as intenções de voto para presidente em 2018 aponta Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro como principais concorrentes na corrida pelo Palácio do Planalto. O levantamento divulgado neste domingo (29) pelo jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, aponta que o petista teria 35% do apoio do eleitorado contra 13% do atual deputado federal. Dessa forma, os dois disputariam o segundo turno. O cenário avaliado aponta Marina Silva como terceira colocada, com 8%. Em uma pesquisa espontânea, na qual o Ibope não apresenta ao entrevistado uma cartela com os nomes dos candidatos, Lula, Bolsonaro e Marina também ocupam as três primeiras posições, mas com 26%, 9% e 2%, respectivamente. Num cenário sem a participação de Lula, Bolsonaro e Marina ficam empatados nas intenções de voto, com 15%.

COMPARTILHE

Tiririca não sairá candidato em 2018 e apoiará Lula: ‘Pro povo ele foi fera e eu sou povo’

O deputado federal Tiririca (PR-SP) afirmou nesta quarta-feira (25) que não pretende disputar as eleições de 2018. Após dois mandatos, o parlamentar afirmou estar “totalmente decepcionado” com a política. “Esperava chegar aqui e aprovar projetos, mas a mecânica daqui é complicada”, disse Tiririca completando que “precisava do segundo mandato para mostrar que não foi só voto de protesto”. O deputado disse ainda que pretende se dedicar a carreira de ator. Na oportunidade Tiririca afirmou que apoiará o ex-presidente Lula nas eleições de 2018 “se não aparecer nada” contra ele. “Pro povo ele foi fera e eu sou povo”, justificou o deputado.

COMPARTILHE

Temer passa mal e é internado em hospital em Brasília durante votação de denúncia contra ele

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), foi internado na manhã desta quarta-feira (25) depois de passar mal. A informação foi divulgada pela jornalista Andréia Sadi e aponta que o peemedebista está no Centro Cirúrgico do Hospital do Exército em Brasília. Não há informações adicionais sobre o estado de saúde do presidente, mas informações sugerem que seria um problema de urologia. Na manhã desta quarta, a Câmara dos Deputados votam a admissibilidade ou não da segunda denúncia contra Temer, no processo conhecido como “quadrilhão do PMDB”. Já foi cumprida a etapa inicial do rito de votação, com a leitura do relatório de Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), contra a permissão para que Temer seja investigado, e a apresentação das defesas de Temer e dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral). No entanto, o governo tem encontrado dificuldade em obter o quórum de votação para colocar o procedimento em análise pela Câmara.

COMPARTILHE

Lidiane Leite, a ‘prefeita ostentação’, é presa pela Polícia Civil em São Luís

A ex-prefeita de Bom Jardim, no Maranhão, Lidiane Leite, conhecida como “prefeita ostentação”, foi presa nesta terça-feira (24) em São Luís (MA). Ela foi condenada por improbidade administrativa em março deste ano. Ao UOL, o delegado da Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor), ligada à Polícia Civil, confirmou a prisão determinada pelo juiz Raphael Leite Guedes. A prisão, no entanto, será domiciliar e sem a necessidade de tornozeleira eletrônica. A decisão atendeu a um pedido do Ministério Público. Ela foi detida em sua casa, no bairro Araçagi, e levada pelos policiais para a Seccor, onde chegou assessorada por três advogados. “Ela foi trazida até aqui para o cumprimento de nota de culpa. Ela assinou documentos, como os que lhe dão garantias constitucionais”, informou o delegado. “Mas ela já voltou para casa, porque a prisão é domiciliar.” Lidiane ganhou fama de “prefeita ostentação” porque exibia nas redes sociais uma vida de alto luxo, o que despertou a desconfiança das autoridades. Condenada neste ano por improbidade administrativa, teve R$ 12 milhões bloqueados em setembro por ordem da Justiça. Ela chegou a ser presa em 2015, quando ainda comandava a prefeitura de Bom Jardim. Lidiane foi presa no dia 28 de outubro daquele ano depois de passar 39 dias foragida.

COMPARTILHE

Planilha da JBS mostra pagamento de R$ 100 mil a vice-governador da Bahia, diz site

Os nomes do vice-governador da Bahia, João Leão (PP), o presidente Michel Temer e mais outros 62 políticos figuram em uma lista apreendida pela Polícia Federal, na sede da JBS, em São Paulo. Segundo informações da revista Época, o documento mostra uma suposta conta-corrente que teria sido aberta apenas para realizar os repasses aos políticos e alguns partidos. Na imagem divulgada pela revista, aparece o nome de Leão, um pagamento no valor de R$ 100 mil e ainda um crédito de R$ 823 mil. De acordo com o documento, o repasse teria sido feito em 22 de setembro de 2014, mesmo ano em que Rui Costa foi eleito governador da Bahia. A planilha ainda mostra o nome de Temer e um repasse de R$ 1 milhão, que teria sido realizado em 2 de setembro do mesmo ano. O documento estava no gabinete de Wesley Batista e a apreensão aconteceu durante a Operação Maquinários, sob a coordenação da Superintendência Regional da Polícia Federal de Mato Grosso do Sul. Os dados ainda mostram que foram repassados mais de R$ 56 milhões para os políticos. No entanto, parte desses valores já haviam sido divulgadas pelos executivos da JBS em delações premiadas.

Foto: reprodução/Revista Época

COMPARTILHE

Evangélicos impulsionam Bolsonaro e Marina e derrubam Lula, revela Datafolha

Se depender do eleitorado evangélico, a zona de conforto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na corrida presidencial vai minguar um bocado. Já a pujança eleitoral do deputado Jair Bolsonaro (PSC) e de Marina Silva (Rede) se dilata no segmento, segundo pesquisa Datafolha realizada no fim de setembro. No quadro geral, Lula tem pelo menos 35% das intenções de voto nos cenários nos quais seu nome é testado. Numa simulação em que só evangélicos iriam às urnas, ele continuaria o mais bem posicionado, mas com 29% de menções na sondagem estimulada –na qual são exibidos cartões com nomes dos candidatos. O Datafolha ouviu 2.772 pessoas em 194 municípios. Evangélicos representam a segunda maior camada religiosa do país (32%), segundo o Datafolha. Católicos, que até os anos 1980 eram 9 de cada 10 brasileiros, são maioria, mas sua presença vem encolhendo: hoje, são 52% da população. Entre eles, Lula é a opção de 40%, tanto no cenário com o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) quanto naquele em que o tucano testado é o prefeito João Doria. Nos dois casos, Bolsonaro e Marina disparam na preferência evangélica, com pelo menos 21% e 17% das intenções de voto, respectivamente –quando Lula está na jogada, ainda que por margem estreita, católicos preferem o deputado à ex-senadora. E se o ex-presidente, que enfrenta problemas na Justiça que podem impedi-lo de concorrer, não se candidatar? Aí é Marina, única evangélica entre os principais pré-candidatos, quem lidera a corrida, escolhida por 27% daqueles que seguem sua fé e 21% dos guiados pelo papa Francisco. Bolsonaro vem em segundo lugar, com 23% entre evangélicos e 16% entre católicos. A indisposição de evangélicos com Lula também sobressaiu quando entrevistados foram indagados sobre o candidato em quem não votariam de jeito nenhum. A taxa de rejeição ao petista chega a 46% nessa fatia religiosa –só os que se declaram espíritas kardecistas/espiritualistas rechaçam ainda mais o ex-presidente (52%). Levando em conta todas as filiações religiosas, essa taxa cai para 42%. Católicos são menos antipáticos a Lula: 39% o descartariam no pleito. Com Bolsonaro o quadro se inverte: a rejeição, que no quadro geral é de 33%, cai a 27% no eleitorado evangélico. O parlamentar se declara católico (parcela na qual tem 34% de resistência), mas foi batizado nas águas do rio Jordão, em Israel, pelo pastor Everaldo, presidente de seu partido, teve o casamento com a terceira esposa celebrado por Silas Malafaia e vem buscando aproximação com esse segmento. Evangélicos também são mais benevolentes com os nomes tucanos cotados para disputar a Presidência: o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria têm, respectivamente, 28% e 22% de taxa de rejeição, contra 33% e 25% da média católica (religião professada pelos dois). Já a objeção a Marina é de 21% entre evangélicos como ela e dispara a 29% entre seguidores do Vaticano. Filho de uma ex-católica convertida à Assembleia de Deus, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que não se declara candidato mas costuma ser lembrado por eleitores para o pleito de 2018, é o menos rejeitado: 21% (todos), 23% (só católicos) e 19% (evangélicos).

TOMAR PARTIDO

Evangélicos têm menos apego partidário do que católicos: 66% dizem não ter uma sigla preferida, contra 59% do maior grupo religioso do país. O favoritismo do PT é maior entre católicos (22%) do que entre evangélicos (18%). Idem com PMDB: 6% e 3%, nessa ordem. Já o PSDB angaria os mesmos 4% de predileção em ambos os segmentos.

COMPARTILHE

Lula promete doar apartamentos e sítio ao MTST se Justiça provar que ele é dono

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) I Foto: Reprodução

Além de afirmar ser vítima de uma perseguição política com os processos a que responde na Justiça, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ironizou as acusações de que seja proprietário dos imóveis não declarados. Durante visita à ocupação do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST) no ABC paulista, neste sábado (21), o petista afirmou que se provarem que ele é dono do tríplex no Guarujá, do apartamento vizinho à sua cobertura em São Bernardo do Campo e do sítio de Atibaia, vai doá-los ao MTST. “Estejam preparados, porque vocês podem ganhar dois apartamentos e uma chácara. Se conseguirem provar que são meus, serão seus. Pode avisar ao Moro”, afirmou, acompanhado de aplausos dos sem-teto que ouviam o discurso. Na ocasião, Lula ainda demonstrou apoio ao movimento, que ocupou um terreno de cerca de 70 mil metros quadrados. “Nesse terreno não teria uma creche, uma escola, um hospital ou moradias populares. Então, vocês estão certos de ocupar para conseguirem uma moradia digna”, defendeu. Lula ressalta que as mais de sete mil famílias que compõem o grupo, são formadas por pessoas que perderam seus empregos ou não conseguem pagar aluguel. Diante disso, ele pediu uma negociação pacífica “com o prefeito, com o governador, com o presidente golpista e com o povo brasileiro” para garantir moradias populares ao povo.

COMPARTILHE

Avião da TAM com deputados federais baianos dá pane em Brasília

Cinco deputados federais baianos passaram por um susto nesta quinta-feira (19), em Brasília, quando o avião em que embarcariam, da companhia TAM, teve uma pane antes de decolar do aeroporto. Estavam a bordo Félix Mendonça Júnior (PDT), Bacelar (Podemos), Fernando Torres (PSD), Pastor Luciano Braga (PRB) e Irmão Lázaro (PSC). Em entrevista ao Bahia Notícias, Félix relatou a situação. “Por volta de meio-dia, saímos de Brasília. Indo para a pista, o avião ficou parado um tempo. Teve todo mundo que descer do avião”, contou o pedetista. Por causa do problema, os passageiros tiveram que esperar mais de seis horas até embarcar em outro voo. O parlamentar ainda disse que, apesar do ocorrido, não sentiu nenhum tipo de medo. Ele ficou tranquilizado com a presença de Luciano e Lázaro, ambos lideranças evangélicas e pregadores contumazes. “Eles estavam orando”, brincou.

COMPARTILHE

Relatório da PF aponta 33 ligações em dois meses entre Aécio e Gilmar pelo WhatsApp

Um relatório da Polícia Federal aponta que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, fizeram 33 ligações entre si pelo aplicativo WhatsApp em dois meses. De acordo com informações divulgadas inicialmente pelo BuzzFeed News, o período avaliado pela PF foi entre 16 de março e 13 de maio, justamente quando Aécio passou a ser investigado por suspeita de receber propina da JBS e foi alvo de uma operação da Polícia Federal. As conversas feitas por meio do WhatsApp não ficam gravadas nos aparelhos e são imunes a grampos. Portanto, não é possível saber o conteúdo dos diálogos, “restando tão somente evidenciado a frequência de contato entre as autoridades em questão”, diz o relatório. O documento foi anexado a um dos processos que tramitam em sigilo no STF e tem o ministro Edson Fachin como relator. As ligações foram descobertas a partir dos celulares apreendidos com Aécio na Operação Patmos, deflagrada no dia 18 de maio. Uma das ligações aconteceu no dia 25 de abril, quando Gilmar suspendeu um depoimento que Aécio prestaria à PF no dia seguinte.

COMPARTILHE

Dodge aponta Geddel como ‘líder de organização criminosa’

Em manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que o ex-ministro Geddel Vieira Lima “fez muito em pouco tempo” e o apontou como “líder de organização criminosa”. Dodge fez o comentário em meio a um recente pedido de liberdade da defesa do ex-ministro, suspeito de obstruir investigações e ocultar R$51 milhões em um apartamento. Geddel foi preso pela segunda vez no dia 8 de setembro na operação Tesouro Perdido, quando cumpria prisão domiciliar.

COMPARTILHE

Senado ‘liberou um corrupto pego em flagrante’, ataca Davidson Magalhães sobre Aécio Neves

O deputado federal baiano Davidson Magalhães (PCdoB) criticou o Senado por conta da decisão da maioria dos senadores por devolver o mandato ao tucano Aécio Neves durante votação ocorrida na manhã desta quarta-feira (18). O parlamentar mineiro foi afastado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) do mandato por conta das denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) de organização criminosa e obstrução de Justiça. Em discurso na Câmara dos Deputados, o comunista disse que a decisão do Senado em manter Aécio no mandato mostra que a Casa não está à altura do povo brasileiro. “Liberou um corrupto pego em flagrante, um chefe de quadrilha”, atacou. De acordo com o parlamentar, o tucano foi liberado apesar da quantidade de prova material colhida. “É uma vergonha para o Senado Federal”, constatou.

COMPARTILHE

Senado rejeita decisão do STF e devolve mandato a Aécio Neves

O plenário do Senado reprovou nesta terça-feira (17) as punições do Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador Aécio Neves, com 44 votos favoráveis ao tucano. No final de setembro, a 1ª Turma do STF decidiu afastar o parlamentar das suas funções Legislativas atendendo a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), com base nas delações premiadas de executivos da J&F. Apesar de ter negado a prisão de Aécio na oportunidade, o colegiado também determinou que o senador não poderia deixar o país e deveria cumprir recolhimento domiciliar noturno. Com a decisão do Senado, Aécio teve as punições retiradas e pode voltar a trabalhar na Casa. A votação desta terça foi viabilizada depois que o STF definiu que o Congresso Nacional é quem deve dar a palavra final sobre medidas cautelares contra parlamentares.

COMPARTILHE

Eu respondo pelos meus atos e eles respondem pelos seus, diz Neto sobre irmãos Vieira Lima

O prefeito ACM Neto (DEM) afirmou que a lei “deve ser aplicada para todos de igual maneira” ao ser questionado sobre o que achou de mais uma operação da Polícia Federal contra os irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima (PMDB), seus aliados, na Bahia. Nesta segunda-feira (16), a PF cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao deputado Lúcio Vieira no intuito de coletar elementos que possam estabelecer o vínculo do parlamentar com os R$ 51 milhões encontrados em um apartamento no bairro da Graça, em Salvador. Durante o ato de entrega de uma escola no bairro Castelo Branco, na manhã desta terça (17), ACM Neto defendeu a continuidade das investigações. “A gente chegou, no Brasil, a um nível de maturidade das instituições que permite que o Judiciário tenha absoluta independência, assim como o Ministério Público e que a Polícia Federal tenha todo o suporte para o trabalho investigativo que deve ser feito. Eu já disse algumas vezes e repito, para mim, ninguém está acima da lei. Espero que tudo possa se chegar a uma conclusão o quanto antes por parte destas investigações para que se saiba efetivamente qual a responsabilidade de cada um dos investigados”, apontou.  “Se por um lado não me sinto a vontade para pré-julgar ninguém, por outro eu defendo todo apoio e suporte para que a investigação aconteça e que a gente saiba a responsabilidade de cada um, não interessa a que partido pertença, se é aliado ou adversário. A lei deve ser aplicada para todos de igual maneira”, frisou. Questionado se estava arrependido de ter se aliado aos Vieira Lima, o democrata negou e fez elogios ao PMDB. “É um partido muito forte, muito estruturado sobretudo no interior do estado. Não se resume, portanto, ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. Cada um deve responder pelos seus atos. Eu respondo pelos meus atos e eles respondem pelos seus atos. É evidente que ao fim de tudo isso restar comprovado a responsabilidade em atos ilícitos, que paguem o preço. Ninguém podia ter o dom da vidência para saber o que estava acontecendo”, ressaltou.

COMPARTILHE

Ex-deputado diz em delação que Lula tinha ‘pleno conhecimento’ de propinas no mensalão

O ex-deputado Pedro Corrêa disse em acordo de delação premiada que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha “pleno conhecimento” de pagamento de propina no mensalão. Os recursos arrecadados junto a órgãos governamentais eram destinados à manutenção da base do governo, votando matérias de interesse do Executivo no Congresso. De acordo com o Estadão, Corrêa disse que a tese do caixa 2 foi discutida com Arnaldo Malheiros, então advogado de Delúbio Soares, e Márcio Tomaz Bastos em virtude da baixa pena do delito e da possibilidade de prescrição. “Então, para fechar a tese criada, foi comunicado a Lula de que o Arnaldo Malheis e Márcio Tomaz Bastos, que o PT e Marcos Valério admitiriam que o Banco Rural e o BMG tinham emprestado dinheiro a Marcos Valério, o qual teria repassado ao PT através de Delúbio Soares para pagar as contas do partido e resquícios das dívidas das campanhas eleitorais, sem contabilizar o dinheiro, formando um caixa 2”, disse Corrêa na delação. Segundo anexos do acordo do ex-deputado do PP, Lula e José Dirceu comunicaram aos réus do mensalão a tese criada e disse “que todos poderiam ficar tranquilos”. “As reuniões envolvendo o julgamento do mensalão eram periódicas entre os envolvidos, sendo que pelo menos duas reuniões foram realziadas no Palácio do Planalto com a presença do presidente Lula. As outras reuniões periódicas ocorriam nas casas de parlamentares envolvidos, com a presença de José Dirceu”, acrescentou Corrêa. O deputado também disse, segundo o Estadão, que Lula aprovou a nomeação de Paulo Roberto Costa, condenado na Lava Jato, à Diretoria de Abastecimento da Petrobras. Inicialmente, no entanto, o PP apadrinharia a nomeação de Rogério Manso, a pedido de Dirceu. Seria Manso o responsável pela arrecadação de propinas para o partido, mas duas reuniões depois o possível indicado teria se recusado a se comprometer com o PP. Com a recusa, Corrêa e os deputados Pedro Henry e José Janene pleitearam a nomeação de Paulo Roberto Costa, já funcionário de carreira na estatal. Uma reunião entre os interessados, Lula e o presidente da Petrobras na época, José Eduardo Dutra, foi marcada para tratar da demora na nomeação do novo diretor. “Lula questionou a demora para nomeação de Paulo Roberto Costa por José Eduardo Dutra, o qual disse que essa cabia ao Conselho de Administração da Petrobras. Na ocasião, Lula disse a Dutra para mandar um recado aos conselheiros, que se Paulo Roberto Costa não estivesse nomeado em uma semana, ele iria demitir e trocar os conselheiros da Petrobras”, relatou. Pouco tempo depois, ele foi nomeado. O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, disse que o material é antigo e segue a lógica de que réus presos na Operação Lava Jato precisam inventar acusações contra Lula para que possam destravar delações com o Ministério Público. “Tanto Paulo Roberto Costa quanto Nestor Cerveró já disseram em depoimentos como testemunhas desconhcer qualquer participação de Lula em irregularidades na Petrobras. O próprio juiz Sérgio Moro já reconheceu que não há qualquer elemento que possa vincular o ex-presidente Lula a recursos provenientes de contratos da Petrobras”, diz a nota enviada pela defesa. Segundo o advogado, Lula é vítima de “lawfare”, quando há uso indevido de leis e procedimentos jurídicos para perseguição política.

COMPARTILHE

Advogado de Lúcio afirma que operação foi ‘absolutamente desnecessária’ e ‘drástica’

O advogado Gamil Föppel, que faz a defesa do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), chamou de “absolutamente desnecessária” a operação deflagrada pela Polícia Federal (PF), na manhã desta segunda-feira (16), contra o peemedebista. A PF cumpriu mandados de busca e apreensão no gabinete dele na Câmara e em seu apartamento em Salvador para investigar se o parlamentar tem alguma relação com o bunker onde foram encontrados R$ 51 milhões que seriam de propriedade de seu irmão, o ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima (veja aqui e aqui). Em nota enviada à imprensa, a defesa disse que só vai se pronunciar sobre a “drástica medida” quando “lhe for garantido o acesso integral aos autos, o que já vem sendo há muito tempo requerido”. “Ressalta-se que, em sucessivas petições, o Deputado Federal Lúcio Vieira Lima colocou-se à plena disposição do Supremo Tribunal Federal e da Procuradoria Geral da República para prestar esclarecimentos e entregar documentos, a evidenciar a desnecessidade da drástica medida realizada na presente data”, posicionou-se. Com informações do Bahia Noticias

COMPARTILHE

Pinheiro é exonerado da Secretaria de Educação; chefe de Gabinete assume

O senador Walter Pinheiro foi exonerado nesta terça-feira (17) do comando da Secretaria de Educação (SEC), conforme publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça para reassumir sua cadeira no Senado e participar da votação referente ao afastamento do senador Aécio Neves (PSDB), que está prevista para acontecer nesta terça.  Após a votação, ele retorna ao posto. A chefe de Gabinete da pasta, Isabella Paim Andrade, assumirá o cargo durante o período, acumulando com sua função. 

COMPARTILHE

Além de gabinete, PF faz buscas em apartamentos de Lúcio em Salvador e Brasília

Foto: Reprodução/G1

Além das buscas em seu gabinete na Câmara dos Deputados, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) é alvo de outros mandados de busca e apreensão em sua residência em Brasília e no prédio em Salvador onde ele tem imóveis, assim como seu irmão, o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA). O edifício fica no Chame-Chame, ao lado do prédio onde mora Geddel. Segundo informações do portal G1, a operação dessa segunda-feira (16) procura indícios de vínculos entre o parlamentar e os R$ 51 milhões apreendidos em um apartamento no bairro da Graça, em Salvador, no último dia 5 de setembro, durante a operação Tesouro Perdido. O dinheiro é atribuído a Geddel. Inicialmente, a informação era de que o apartamento foi emprestado ao ex-ministro pelo empresário Sílvio Silveira – este, no entanto, afirmou em depoimento que o imóvel foi emprestado a Lúcio. Outra pista da ligação do deputado é uma nota fiscal de uma funcionária dele que foi apreendida no mesmo local onde estava o dinheiro. Diante desses indícios, o caso foi transferido para o Supremo Tribunal Federal (STF), já que Lúcio tem foro privilegiado.

COMPARTILHE

PF faz buscas na Câmara; gabinete de Lúcio Vieira Lima é um dos alvos

A Polícia Federal está fazendo buscas na Câmara dos Deputados na manhã desta segunda-feira (16) em Brasília, e um do alvos é o gabinete do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA). A operação acontece a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Lúcio é irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso preventivamente desde julho, após a polícia apreender R$ 51 milhões em um imóvel que estaria sendo emprestado ao político – é a maior apreensão de dinheiro vivo da história da corporação. Em setembro, as investigações foram encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF). O motivo da transferência para o STF são os indícios encontrados nas investigações em relação a Lúcio Vieira Lima, que tem foro privilegiado na Corte por ser deputado federal. As investigações apontam que, na verdade, o apartamento foi emprestado a Lúcio Vieira Lima e era usado por Geddel. Com informações do Bahia Notícias

COMPARTILHE

Funaro diz que Geddel ficava com até 65% de propinas em época da Caixa Econômica

Foto: Reprodução

O operador Lúcio Funaro disse à Procuradoria-Geral da República (PGR) que Geddel Vieira Lima ficava com 60% a 65% do valor arrecadado com propina na Caixa Econômica Federal. Segundo a Folha, a informação foi passada por Funaro no dia 23 de agosto, quando ele prestou depoimento à PGR. O operador, ligado ao PMDB e a Eduardo Cunha, teve o acordo de delação homologado pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo Funaro, a porcentagem de Geddel foi acordada assim que o baiano assumiu a vice-presidência de Pessoa Jurídica da Caixa, em 2011. Conforme Funaro, depois da parte de Geddel, o operador e Eduardo Cunha dividiam o resto [40% a 35%]. Ainda no depoimento, Funaro disse que Cunha funcionava “como se fosse um banco de corrupção de políticos” e havia “uma fila de gente atrás dele”.

COMPARTILHE

TCU determina bloqueio de bens de Dilma por prejuízo à Petrobras

Dilma Rousseff (PT) I Foto: Reprodução

O plenário do TCU (Tribunal de Contas da União) determinou nesta quarta (11) o bloqueio de bens da ex-presidente Dilma Rousseff e de outros ex-membros do Conselho de Administração da Petrobras para ressarcimento de prejuízo causado à estatal no caso da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Além dos de Dilma, foram bloqueados os bens do ex-ministro Antônio Palocci, Claudio Luis da Silva Haddad, Fábio Colletti Barbosa, Gleuber Vieira e do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli. Segundo o tribunal, o dano causado foi de US$ 580 milhões. Ainda é possível recorrer da decisão. O bloqueio tem duração de um ano. Em 2006, quando a compra de Pasadena foi fechada, Dilma era presidente do Conselho de Administração da Petrobras. A estatal comprou 50% da refinaria americana por US$ 360 milhões. Em agosto, o plenário do TCU já havia condenado Gabrielli e o ex-diretor da área Internacional Nestor Cerveró pelo envolvimento de ambos na compra da refinaria. O tribunal determinou que ele deveriam ressarcir à estatal o valor de US$ 79,9 milhões (cerca de R$ 250 milhões), além de pagar multa de R$ 10 milhões cada um. O TCU também proibiu que ambos ocupem cargos públicos.

COMPARTILHE

Bebeto discute com Ministro da Agricultura a reestruturação da Ceplac

Foto: Reprodução

O deputado federal Bebeto Galvão (PSB/Bahia) participou, na tarde desta terça-feira, dia 10, de audiência com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em Brasília. O encontro, que teve a participação de outros parlamentares e do secretário estadual de Agricultura, Vitor Bonfim, discutiu o processo de reestruturação da Ceplac, órgão que, mesmo vital para a lavoura cacaueira do sul da Bahia, vem sendo sucateado há anos. A reestruturação foi iniciada pelo Governo Federal em junho deste ano, com o objetivo de redesenhar e adequar a Ceplac à nova realidade do Ministério da Agricultura (Mapa). Na reunião, Bebeto defendeu a manutenção dos servidores que já estão lotados no setor e a contratação de outros como o primeiro passo para uma reestruturação efetiva. Na oportunidade, o parlamentar falou da necessidade de dar “condições a Ceplac de continuar a ser um órgão singular, mantendo suas funções de pesquisa e extensão”. Ao ministro Blairo Maggi, o deputado criticou as sucessivas tentativas de esvaziamento do órgão, que recentemente foi rebaixado ao status de diretoria do Mapa. Ao fim da reunião ficou acertado que um novo encontro será realizado com os parlamentares baianos no dia 8 de novembro, para amadurecer as pautas. “Vamos construir mais uma unidade em torno dos interesses da região. A Ceplac é nossa e deve ser mantida”, afirmou Bebeto.

COMPARTILHE

Oposição desconfia que anúncio de duplicação da BR-415 seja promessa eleitoreira

Deputado estadual Leur Lomanto Jr. I Foto: Reprodução

Um dia após o governo do estado promover o ato de assinatura que autoriza a duplicação da BR 415, que liga os municípios de Ilhéus e Itabuna, na região cacaueira, a conclusão é de que ainda não foi aprovado o projeto executivo para a obra, que o governador Rui Costa (PT) prometeu iniciar em 90 dias. Além disso, não estão previstos recursos para a intervenção no orçamento de 2018. Diante dessas lacunas, a Bancada de Oposição questiona a assinatura do protocolo de intenções para uma obra ainda com pendências. O líder da Bancada, deputado Leur Lomanto Jr. (PMDB), disse esperar que o governo não tenha usado apenas do artifício de lançar obras, às vésperas do ano eleitoral. “Que não seja mais uma promessa eleitoreira, como essa intervenção se resumiu nesses últimos dez anos do governo”, afirmou, destacando que a Oposição cumpre dessa forma o seu papel de fiscalizar para que os pleitos da população sejam atendidos. O líder lembrou que o DNIT autorizou o governo do estado a executar a obra, sendo os recursos provenientes de um convênio assinado com o Ministério dos Transportes em 2014, no valor de R$108 milhões, mas o projeto executivo ainda não foi reconhecido. O deputado Adolfo Viana (PSDB), alertou para o fato de o governador lançar uma obra que mais uma vez não sabe se vai tirar do papel, como fez com a Ponte Salvador -Itaparica e com o Centro de Convenções, fechado há mais de um ano. “Esperamos que dessa vez seja cumprida”, frisou. Em pronunciamento, o deputado Hildécio Meireles (PMDB) recordou que o ex-governador Jaques Wagner (PT) também autorizou em setembro de 2014, a duplicação da BR-415 com a presença do então ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. “Anunciaram a época que a licitação seria finalizada em 45 dias e a expectativa era que a obra fosse entregue em dois anos. Agora ludibriam os baianos ao dizerem que a obra será iniciada em 90 dias, quando na verdade já sabem que não existem recursos para isso, já que o governo do PT quebrou o país. Fazem isso para depois colocarem a culpa no governo federal e tentarem atingir o prefeito ACM Neto de quem estão morrendo de medo. Esse é mais um jogo de encenação do governo Rui Costa”, criticou.

COMPARTILHE