Polícia prende responsáveis por tatuar ‘eu sou ladrão e vacilão’ na testa de adolescente

Foto: Reprodução / SGA

Responsáveis por tatuar “eu sou ladrão e vacilão” na testa de um adolescente de 17 anos, o tatuador Ronildo Moreira de Araújo, de 29 anos, e seu vizinho Maycon Wesley Carvalho dos Reis, de 27, foram presos em flagrante, na sexta-feira (9), no Centro de São Bernardo do Campo. Os dois foram autuados por tortura. Feita na manhã de sexta, a tatuagem foi filmada com o celular de Reis, compartilhada no WhatsApp e rapidamente viralizou, chegando até a família do adolescente. Os familiares, que o procuravam desde o dia 31 de maio, buscaram o 3º Distrito Policial da cidade para tentar encontrar o rapaz, que, de acordo com eles, é usuário de drogas e não estaria em seu estado de saúde perfeito. Com as informações da família, a polícia conseguiu encontrar o tatuador na pensão onde ele e Reis eram vizinhos. Já na delegacia, os dois relataram que o adolescente teria tentado furtar uma bicicleta na região e que “resolveram tatuar o mesmo como forma de punição”. “O vídeo circula desde ontem [sexta-feira] na internet. A polícia agiu corretamente. Submeter alguém a intenso sofrimento físico e psicológico configura tortura. Se ele estava tentando furtar ou roubar eles deveriam chamar a polícia e não torturar”, avaliou o advogado Ariel de Castro Alves, coordenador da Comissão da Criança e do Adolescente do Condepe (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana de São Paulo). O adolescente só foi encontrado no fim da tarde deste sábado (9), por amigos, na Estrada dos Casa. Em depoimento, ele negou ter cometido o furto e disse ainda que teve o cabelo cortado e as mãos e pés amarrados pelos torturadores. Após ser encaminhado para atendimento em um posto médico, ele retornou para a casa da avó.

COMPARTILHE