Torcida organizada do Corinthians é condenada por homofobia

BBjm9IW

Uma das organizadas do Corinthians, a Fiel Torcida Jovem Camisa 12, foi condenada a pagar uma indenização de R$ 20 mil por ofensas homofóbicas ao jogador Emerson Sheik. O episódio ocorreu em 2013, quando Sheik postou uma foto em redes sociais dando um selinho num amigo, o empresário Isaac Azar. Dias depois, num treino no CT do Parque Ecológico, cinco torcedores levantaram faixas com frases como “viado não aceitamos”, “vai beijar a p* que p*, aqui é lugar de homem”, “vai beijar mulher, c*” e “respeito é para quem tem”, entre outras.

Além dos protestos por parte dos torcedores, um diretor da Camisa 12 teria exigido um pedido de desculpas do atacante. “O mínimo é um pedido de desculpa”, disse. E prometeu em seguida: “Vamos tumultuar a vida dele. Hoje, são cinco. Amanhã, 50. Depois, 300”. O diretor alega que a foto de Sheik abriu uma brecha para a gozação de rivais, noticia o Jornal Folha de São Paulo.

Como parte de sua defesa no processo, a torcida organizada declarou que o fato não trata-se de homofobia e que o protesto contra Sheik ocorreu por ele, ao ser substituído num jogo, ter desrespeitado outros jogadores do clube, o técnico e a torcida. O processo contra a Camisa 12 foi movido pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo.

COMPARTILHE